domingo, 31 de outubro de 2010

AVALIAÇÃO ROTINEIRA DA SAÚDE DE ADULTOS


TRIAGEM ROTINEIRA RECOMENDADA (ADULTOS)


Exame de Saúde de Rotina ANUAL

Bioquímica Sanguínea BASAL com 20 anos, depois determinação.médica.

Hemograma Completo
BASAL com 20 anos, depois
determinação médica.

Dosagem Lipídica BASAL com 20 anos,depois determinação médica.

Pesquisa de Sangue oculto nas fezes ANUAL depois de 50 anos.

Eletrocardiograma BASAL com 40 anos, depois determinação médica.

<b>P.A ANUAL depois determinação médica .

Teste Tuberculínico A cada 2 anos ou conforme determinação médica.
Radiografia do Tórax Para os resultados de PPD positivos.

Auto Exame de Mama ANUAL

Mamografia ANUAL para mulheres acima de 40 anos ou mais cedo e maior freqüência quando indicado.

Exame clínico da Mama ANUAL

Papanicolau (Cervico Uterino) ANUAL

Exame clínico Ginecológico ANUAL

Densidade Óssea Baseada nos fatores de risco primários e secundários (antes do início da Menopausa quando indicado).

Exame Nutricional Conforme determinação médica.

Exame retal digital ANUAL

Colonoscopia A cada 3-5 anos depois do 50 anos de idade ou conforme determinação médica.

Exame de Próstata ANUAL

Antígeno Próstata específico A cada 1-2 anos depois dos 50 anos de idade.

Exame Testicular MENSAL

Exame de Pele ANUAL ou determinação médica.

Visão A cada 2-3 anos.

Glaucoma BASAL com 40 anos de idade, depois a cada 2-3 anos até 70 anos de idade, em seguida anualmente.

Avaliação Dentária A cada 6 meses.

Avaliação Auditiva Quando necessário.

Avaliação do Risco de Saúde Quando necessário.


IMUNIZAÇÃO NO ADULTO

Tétano Reforço a cada 10 anos.

Difteria Reforço a cada 10 anos.

Rubéola
Administrada para mulheres em idade reprodutiva, quando não foi previamente imunizada.
Vacina Pneumocóccica Administrada com 65 anos ou mais cedo quando a Doença Crônica ou incapacitante está presente.
Hepatite B(quando ausente na infância) Três doses (1ª dose de imediato – 2ª dose 1 mês depois – 3ª dose -5 meses depois)
Vacina Influenza (Gripe) ANUAL

Vacina Doença de Lyme (quando em risco) Três doses (1ª dose de imediato, 2ª dose com 1 mês da 1ª dose,3ª dose com 11 meses depois da 2ª dose).




Fonte: BRUNNER & SUDDART 11ª EDIÇÃO.

http://www.ebah.com.br/triagem-rotineira-recomendadaadultos-brunner-doc-a86639.htm


                                                    

sábado, 16 de outubro de 2010

Programa Viver e Conviver: "Assédio Moral no Trabalho"(VULNERABILIDADE)

HÁ MALES QUE NOS FORTALECE

“Um sábio passeava na floresta com seu discípulo. Avistou uma casinha pobre, aos pedaços.Nela moravam um casal e três filhos – todos mal vestidos, sujos, magros e aparentando subnutrição”.


O sábio pergunta ao pai da família: “— Como vocês sobrevivem? Não vejo horta alguma. Não vejo plantação alguma. Não vejo animais”.


O pai respondeu: “— Nós temos uma vaquinha que nos dá alguns litros de leite por dia. Uma parte do leite, nós tomamos. Outra trocamos na cidade vizinha por alimentos e roupas e assim vamos sobrevivendo...”.


O sábio agradeceu e saiu novamente pelo caminho. Logo em seguida, o sábio avistou uma vaquinha e ordenou ao seu discípulo:


“— Puxe aquela vaquinha até o precipício e a empurre precipício abaixo!”.


Mesmo sem compreender a ordem, o discípulo cumpriu – empurrou a vaquinha no precipício! E ficou pensando na maldade do sábio em mandar matar a única fonte de subsistência daquela pobre família. Aquilo não saiu da cabeça do discípulo por muitos anos.


Alguns anos depois, passando pela mesma região, o discípulo lembrou-se da família e do episódio da vaquinha. Resolveu voltar àquela casinha e ... surpresa!!!


No lugar da pobre casinha havia uma bela casa. Um pomar ao redor. Varias cabeças de gado. Um trator novo. Na porta da casa avistou o mesmo pai – agora bem vestido, limpo, saudável. Logo apareceram a mulher e os três filhos – todos bonitos e aparentando saúde e felicidade!


Quando o discípulo perguntou a razão de tanta mudança nesses últimos anos, o pai da família respondeu:


“— A gente tinha uma vaquinha que caiu no precipício e morreu. Sem a vaquinha a gente teve que se virar e fazer outras coisas que nunca tinha feito. Começamos a plantar, criar animais, usar a nossa cabeça para sobreviver e daí a gente viu que era capaz de fazer coisas que nunca tinha imaginado e de conseguir coisas que a gente acharia impossível porque nunca havia tentado fazer”.


Sem a vaquinha, a gente foi à luta e a gente só tinha essa alternativa – lutar para vencer!


Vamos descobrir qual é a “nossa vaquinha” e quem sabe aproveitar este momento de “crise” para empurrá-la morro abaixo.

Blog do Pastor Carlos Orlandi Júnior