sexta-feira, 15 de julho de 2016

Síndrome de Peter Pan


SÍNDROME DE PETER PAN
A síndrome de "Peter Pan" tem se convertido em quase uma enfermidade social: a de aqueles que não querem terminar de madurar.

A síndrome se manifesta em aqueles que, ainda que consigam realizar tarefas do dia a dia como uma pessoa “comum”, na sua vida se seguem comportando como adolescentes, significa ser egocêntricos, irresponsáveis e ávidos da última diversão.
Não é doença e o que faz a síndrome ser considerada um problema é quando provoca desequilíbrio emocional, que de forma geral atrapalha o relacionamento e o funcionamento.
O psicólogo norte americano Dan Kiley denominou como Síndrome de Peter Pan ao conjunto de rasgos que tem aquela pessoa que não sabe ou não pode renunciar a ser filho para começar a ser pai.
Quem explica como ela se desenvolve e que consequências pode ter é a psicóloga Lisane Luz Pacheco, que atua no Núcleo de Apoio Psicológico (NAP) de Novo Hamburgo (RS). De acordo com ela, a Síndrome de Peter Pan tem a ver com certos traços da personalidade que se caracterizam pela imaturidade psicológica e pelo narcisismo.
“São pessoas que se negam a envelhecer e que são dependentes”, afirma a psicóloga. Ao invés de viverem as mudanças psicológicas naturais da adolescência, a especialista explica que as pessoas com esta síndrome passaram diretamente da infância para a fase adulta, esquivando-se justamente da adolescência.


Sinais da Síndrome de Peter Pan

De acordo com a psicóloga do NAP, a Síndrome de Peter Pan se manifesta por meio de traços da personalidade do indivíduo, que se nega a crescer e é bem mais frequente nos homens do que nas mulheres.
Entre os seus principais sintomas, Lisane destaca a irresponsabilidade, a ansiedade e o conflito relativo ao papel sexual. A primeira pode ser resultado de uma educação extremamente permissiva por parte dos pais.
Já a ansiedade, explica Lisane, se apresenta como uma profunda insatisfação consigo, embora, muitas vezes, não o demonstre diretamente e pode estar, da mesma forma, ligada à forma como o indivíduo é criado e educado.
Adaptação de: Doutíssima


Problemas no convívio social


A forma do homem se comportar afasta as pessoas mais próximas, pois costumamente acabam ficando chateadas com a sua imaturidade.
Ele tem a crença de que não faz nada de errado, pois a culpa é sempre dos outros ou das circunstâncias.
O homem nunca muda, porque não se autoquestiona sobre suas atitudes e nunca aprende com as falhas.
Também não sente remorso e muito menos se preocupa com o que faz as outras pessoas. Pedido de desculpas não faz parte do seu repertório, por isto não costuma pensar no que aconteceu.
O homem Peter Pan se acha o dono da razão, não aceita ser contrariado, rejeita conhecimento de técnicos, de diplomados e qualquer outro que tenha estudo aprofundado do assunto no qual se opõe, pois está sempre se julgando superior as outras pessoas.
Em sua busca de perfeição (devido a insegurança que sente) tornar-se muito crítico em receber uma reclamação, mas geralmente faz menos ou nada do que deveria para melhorar a situação.
Mostra-se furioso quando a raiva toma conta.
Ele apresenta frieza e falta de calor humano em suas relações, e não expressa os sentimentos com facilidade.

No âmbito dos relacionamentos amorosos, não se esforçam para fazer parte de um casal maduro e estável.
São homens-meninos que resistem a crescer e amadurecer
, por isso são incapazes de cuidar, proteger ou levar adiante um relacionamento amoroso. Por isso, a maioria deles só têm relações superficiais, sem permanecer por muito tempo numa relação estável, já que costumam fugir do compromisso.


Embora se ache muito generoso e que todos se aproveitam desta qualidade dele, é ele que se comporta como egoísta; mostra-se disposto a realizar atividades que é apenas do seu interesse; não se lembra de datas importantes como aniversários e também não dá presentes. Quando ele pede ajuda, logo em seguida ri daquele que o ajudou e também não valoriza.
Suas atitudes fazem com seja odiado facilmente, mas é o amor dos mais próximos que pode incentivá-lo rumo à mudança.
As amizades do homem menino não são profundas,com outras pessoas,somente com outros "adultos-Adolescentes";

É comum esses adultos adolescentes que juntem-se a um grupo. A imersão em um grupo de amigos é uma das etapas essenciais do desenvolvimento dos adolescentes. O jeito de se vestir, de falar e agir de forma diferente dos adultos podem ajudá-lo a sentir-se independente.





Nenhum comentário:

Postar um comentário