domingo, 25 de setembro de 2011

Preço.


Certa vez um jovem foi a um homem sábio, pedir conselhos.
O homem sábio disse que precisava fazer duas perguntas primeiro.
 Ele propôs uma situação imaginária. Ele disse - “Imagine que você nunca
seria pego e ninguém seria prejudicado. Ninguém perderia nada. Se
estas circunstâncias fossem garantidas, você mentiria por
R$10.000?” O jovem pensou um pouco e respondeu. “Sim, por R$10.000,
se ninguém soubesse e ninguém fosse prejudicado. Eu mentiria.” O
sábio balançou a cabeça e disse. “Só mais uma pergunta. Você
mentiria por dez centavos?” Furioso, o jovem indagou “Que tipo de
pessoa você acha que eu sou?” O sábio respondeu. “Eu já sei que
tipo de pessoa você é.
Estou apenas tentando estabelecer seu
preço. “

O preço de Judas foi trinta moedas de prata (Mateus 26:15).

“Quem se vende por pouco se vende por muito”,se vende não só por dinheiro”
Como o homens “da lei” para proteger alguém;
Cada um tem seu preço. Cada um tem seu
lugar de cometer o erro.. Ninguém vê e ninguém sabe. O pecador escapa da humilhação
de ter que enfrentar suas iniqüidades e ainda se engana com a idéia
de que "não houve vítima". Houve. E a vítima foi ele.
                                                                                                                                      
                                                                                                        

quarta-feira, 14 de setembro de 2011

Doenças causadas pelas Enchentes


Devemos nos prevenir de algumas Doenças causadas durante as Enchentes transmitidas pelas águas paradas como:
Leptospirose; Hepatites A e B; Doenças Diarréicas; Cólera; Febre Tifóide;

Eliminação e tratamento de criadouros do mosquito Aedes aegyti, responsável pela Dengue.

Essas doenças causam leves sintomas como dores no corpo e de cabeça e até a morte
dependendo do tempo de exposição e tratamento imediato, no início dos sintomas;

As doenças de notificação compulsória merecem atenção das autoridades sanitárias  pois mostram o quadro real da calamidade.
Fonte: Ensinando a Cuidar em Saúde Pública.

                  


                                                                              















                                                             
                                                                                                                                             

quinta-feira, 8 de setembro de 2011

Assédio Moral:Indenização a trabalhador Reintegrado ao trabalho.


04/12/2009
E PORQUE, OUTRAS PESSOAS QUE ENTRARAM POR CONCURSO E JÁ FORAM NOMEADAS E AS VÉSPERAS DE TER ESTABILIDADE TAMBÉM SÃO EXONERADAS E AINDA NUNCA MARCAM SUA AUDIÊNCIA E A JUSTIÇA DO BRASIL, NADA FAZ.


Banco pagará mais de R$ 3 milhões a trabalhador dispensado às vésperas de conquistar estabilidade

A Seção II Especializada em Dissídios Individuais do Tribunal Superior do Trabalho julgou improcedente ação rescisória do Unibanco – União de Bancos Brasileiros S/A contra condenação de reintegrar um ex-empregado da empresa.
 Os integrantes da SDI-2 seguiram entendimento do relator, ministro Renato de Lacerda Paiva, no sentido de que não ocorreram as violações legais indicadas pelo banco, que autorizassem a rescisória (artigo 485, V, do Código de Processo Civil). 

O Unibanco ingressou com ação rescisória para desconstituir acórdão da SDI-1 do TST que rejeitou (não conheceu) seu recurso de embargos e, com isso, favoreceu ex-empregado da empresa. Alegou que o valor da condenação foi uma aberração (o equivalente a três milhões de reais em valores de 2007) e que a determinação de reintegrar o trabalhador sem qualquer limitação no tempo exorbitou os limites da ação (incidência da Súmula nº 298/TST). No mais, afirmou que a garantia de emprego do trabalhador já havia terminado quase dez anos antes. 

A defesa do empregado sustentou que o TST não chegou a se manifestar sobre o mérito da matéria, pois os recursos da empresa não foram conhecidos na Turma e na SDI-1. Logo, não cabia o pedido do banco de desconstituição do acórdão da SDI

De acordo com a advogada, desde o início da ação, o trabalhador requereu o pagamento do período de estabilidade provisória e reintegração no emprego (com pedido de pagamento de diferenças salariais da data da dispensa até a reintegração), e em nenhum momento houve contestação quanto a esse ponto.
 Disse que a empresa dispensara o empregado faltando poucos dias para completar os 28 anos de serviço que lhe assegurariam estabilidade no emprego pré-aposentadoria, conforme cláusula de acordo coletivo da categoria, e depois nunca mais ele conseguiu emprego. 

A conclusão do Tribunal Regional do Trabalho da 15ª Região (Campinas, SP), da mesma forma que o juiz de primeiro grau, foi que o banco dispensara o funcionário antes que ele adquirisse a garantia de emprego prevista em norma da categoria, portanto deveria reintegrar o trabalhador e pagar indenização em dobro (conforme artigo 499, § 3º, da CLT). 
Durante o julgamento na SDI-2, o relator, ministro Renato Paiva, disse que era sensível ao caso, afinal o resultado prático da decisão do Regional contrariava a jurisprudência do TST. 

Contudo, observou o relator, não foram invocados no recurso de revista ou de embargos os dispositivos que tratam de julgamento “ultra petita” (como, por exemplo, os artigos 128 e 460 do CPC). 
Ainda segundo o ministro, o julgado da SDI-1 que a parte pretendia rescindir não examinou a matéria a respeito da indenização em dobro por causa da dispensa obstativa à estabilidade do trabalhador, tampouco analisou o recurso à luz da alegação de julgamento “ultra petita”. 

Por essas razões, na interpretação do relator, o argumento do banco de que o acórdão não limitou a reintegração do trabalhador ao período correspondente à garantia no emprego (incorrendo em julgamento “ultra petita”) era insustentável, na medida em que, se houve vício, ele nascera no julgamento originário da reclamação trabalhista, e não em grau de embargos à SDI-1. (AR- 184.480/2007-000-00-00.4). 

(Lilian Fonseca) 

Fonte:Tribunal Superior do Trabalho.

Assédio moral:CASOS REAIS

O crime de Assédio Moral no trabalho continua,como se não houvesse justiça e vivêssemos em um faroeste,sem lei;
Impressionante um Juiz ir contra provas IRREFUTÁVEIS do crime de Assédio Moral no trabalho,porém não existe somente impunidade nestes casos:









                                                           







CASOS REAIS                                                                      
     
Quando a pressão pelas metas se torna psicológica afetando a saúde , o caso pode ser juridicamente enquadrado como dano moral.

- Empregado que sofre exposição humilhante e vexatória, colocado em ociosidade, em local inadequado apelidado pejorativamente de “aquário” pelos colegas, além da alcunha de “javali” (já vali alguma coisa) atribuída aos componentes da equipe dos “encostados”. (TRT 15ª R. - RO 2229-2003-092-15-00-6 (53171/05) - 11ª C. - Rel. Juiz Edison dos Santos Pelegrini
- DOESP 04.11.2005 - p. 129).
يعرف الإجابة على الهواتف ، معظم الوقت ، والذين يعرفون لي وظيفتي لم تفهم شيئا

- Empregado que é colocado em indisponibilidade indefinidamente por mais de ano, embora remunerada; sofre tortura psicológica pela forma reiterada e prolongada a que esteve
exposto a situações constrangedoras e humilhantes, minando a sua auto estima e competência funcional, depreciando a sua imagem e causando sofrimento psicológico. (TRT 15ª R. - RO
2142-2003-032-15-00-5 - (42274/05) - 11ª C. - Rel. Juiz Edison dos Santos Pelegrini - DOESP09.09.2005 - p. 62).
ما يقرب من 3 سنوات ، واكتسبت £ 20 ويعاني من أمراض القلب والأمراض الأخرى

Fonte: Sindicato dos bancários de Itajaí e região.
      

sexta-feira, 2 de setembro de 2011

Neuralgia Tibial e Fibular.

Neuralgia Tibial Posterior

A neuralgia tibial posterior é a dor no tornozelo, no pé e nos dedos causada pela compressão ou pela lesão do nervo que inerva o calcanhar e a planta do pé (nervo tibial posterior).
 O nervo tibial posterior percorre ao longo da parte posterior da panturrilha, atravessa um canal ósseo próximo ao calcanhar e chega à planta do pé.
 Quando os tecidos em torno desse nervo inflamam, eles podem comprimi-lo e causam dor.
 A dor, o sintoma mais comum desse distúrbio, geralmente é do tipo queimação ou formigamento.
 A dor ocorre quando o indivíduo fica em pé, anda ou usa determinados tipos de calçados.
 Localizada geralmente em torno do tornozelo e estendendo-se até os dedos, a dor piora quando a indivíduo anda e alivia com o repouso.
 Ocasionalmente, o indivíduo também sente dor em repouso.
 Para diagnosticar essa condição, o médico manipula o pé durante o exame físico.
 A percussão sobre a área lesada ou comprimida freqüentemente causa formigamento, o qual pode estender-se até o calcanhar, o arco do pé ou os dedos.
 Podem ser necessários vários exames para se determinar a causa da lesão, especialmente quando é aventada a possibilidade de uma cirurgia do pé.


 Responsável: Manual Merck.
 Fonte: Manual Merck.


Sintomas do Nervo Tibial e Nervo Fibular

Um ou alguns dos sintomas listados:
• Dor sob o joelho ao longo da superfície traseira da haste;
• Dor e / ou queima”, golpes de corrente" no pé, pernil, nos dedos dos pés.
Fraqueza muscular de pernas e pés, deslocamentos freqüentes dos pés;
• A fraqueza de flexão e alongamento dos dedos;
• Dormência das hastes e / ou pés;
• Atrofia da haste e os músculos do pé.

Fonte:Ehinaceya Medical Center

O repouso é indicado até a desinflamação do Nervo e nos Problemas de Pé.

Intervenções comuns

Medicina Ocidental normalmente usa-se gelo para desinflamar o nervo
Medicina Chinesa normalmente usa-se Magnetos no lado norte que age como uma bolsa de gelo.
Pontos locais: B62,R3

PROCURE UM MÉDICO PARA O DIAGNÓSTICO E TRATAMENTO.
"Não cuidar dos Pés Faz Mal á Saúde"



Fonte:www.dermogel.com.br  
fontewww.auladeanatomia.com